Você não tem permissão para copiar esta notícia entre em contato com os administradores do Google.
Início / Brasil / Mulheres do MST invadem parque gráfico do jornal O Globo no Rio

Mulheres do MST invadem parque gráfico do jornal O Globo no Rio

Um grupo de mulheres do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra) e de outros movimentos sociais invadiu o parque gráfico do jornal “O Globo”, em Duque de Caxias, na região metropolitana do Rio, no início da manhã desta quinta-feira (8).

Em nota, o jornal afirmou que 400 pessoas participaram da invasão. O MST, entretanto, diz que 800 mulheres estiveram presentes. De acordo com a Polícia Militar, a ação durou cerca de meia hora. As manifestantes já desocuparam o local. Não houve registros de feridos.

“Entre os manifestantes, que chegaram em dez ônibus, havia pessoas armadas com facões. O grupo parou no estacionamento para visitantes, de acesso livre, e invadiu o prédio. Os seguranças da empresa não impediram a invasão, devido à quantidade de pessoas”, diz o comunicado de O Globo.

No texto, o jornal diz ainda que “manifestantes fizeram pichações de mensagens políticas em vidraças, sofás, paredes e no piso. Também atearam fogo em pneus ao redor de um totem com o nome do jornal, que é de metal e não chegou a ser danificado”.

Participaram da ação o MST, o Levante Popular da Juventude, o Movimento dos Atingidos por Barragens e o Movimento dos Pequenos Agricultores, além de moradoras de comunidades da cidade.

A invasão faz parte da Jornada Nacional de Luta das Mulheres Sem Terra, que também ocupou uma fábrica da Riachuelo no Rio Grande do Norte e a superintendência regional do Incra (Instituto de Reforma Agrária) em Brasília.

Em nota, o MST afirmou que o objetivo da ação, iniciada às 5h30 da manhã, é “denunciar a atuação decisiva da empresa sobre a instabilidade política brasileira” e cita a “articulação da Globo no processo do golpe” e a “perseguição ao presidente Lula, para inviabilizá-lo como candidato em uma eleição democrática”.

Também em nota, a Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão), a Aner (Associação Nacional de Editores de Revistas) e a ANJ (Associação Nacional de Jornais) repudiaram a invasão e disseram que “atos criminosos são próprios de grupos extremistas, incapazes de conviver em ambiente democrático”.

“É inadmissível que um grupo, que se diz defensor de causas sociais, ameace e ataque profissionais e meios de comunicação que cumprem a missão de informar a sociedade sobre assuntos de interesse público”, disseram as instituições em nota conjunta. UOL

Sobre O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Aproveite e Veja Também...

Bolsonaro diz que Brasil vai vencer a crise econômica mundial

O presidente Jair Bolsonaro disse ter convicção de que o Brasil vai superar os eventuais …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *