Mundo

Ex-presidente da Coreia pega mais 8 anos de prisão

Ex-presidente da Coreia pega mais 8 anos de prisão 1

x-presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, foi condenada a mais oito anos de prisão por abuso de fundos estatais e violação das leis eleitorais. A nova sentença eleva a 32 anos a pena de Park, afastada do cargo em 2016 após um processo de impeachment movido por denúncias de corrupção.

Park foi considerada culpada pela Corte do Distrito Central de Seul por ter recebido cerca de 3 bilhões de won sul-coreanos (cerca de US$ 2,6 milhões) de chefes do Serviço Nacional de Inteligência durante seu mandato entre 2013 e 2016. Por esse crime, foi sentenciada a seis anos de prisão.

A Justiça também condenou a ex-presidente a dois anos de prisão por ter violado leis eleitorais após interferir no processo de nomeação dos candidados do próprio partido nas eleições parlamentares de 2016.

Park governou a Coreia do Sul por três anos. Em 2016, um escândalo de corrupção provocou uma onda de protestos contra o seu governo. A ex-presidente foi acusada de utilizar capital político para forçar grandes conglomerados de empresas a pagar dezenas de milhões de wons a duas fundações controladas por sua confidente e amiga íntima Choi Soon-il.

Entenda o caso 

O parlamento moveu um processo de impeachment, concluído em dezembro daquele ano, que a retirou do cargo e convocou novas eleições. Em março de 2017, ela foi presa e, semanas depois, condenada a 24 anos de reclusão pelos crimes de corrupção.

Park é o terceiro ex-chefe de Estado da Coreia do Sul detido por um caso de corrupção. Chun Doo-Hwan e Roh Tae-Woo cumpriram penas de prisão nos anos 1990 por motivos similares. O ex-presidente Roh Moo-Hyun, eleito democraticamente, cometeu suicídio em 2009, quando ele e a família eram investigados por corrupção.

G1

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
error: Não Permitido!
Fechar