Paraíba

‘Vou botar polícia nisso’, diz Ricardo Coutinho sobre ‘codificados’;

'Vou botar polícia nisso', diz Ricardo Coutinho sobre 'codificados'; 1

O governador Ricardo Coutinho (PSB), durante evento do Orçamento Democrático em Sousa, no Sertão da Paraíba, a 438 km de João Pessoa, disse que já pediu investigação policial sobre o relatório de codificados divulgado pelo Sindifisco, entidade que diz ter se baseado em dados do Tribunal de Contas do Estado. “Eu vou botar polícia nisso”, disse Ricardo, em entrevista concedida ao portal Repórter PB.

“Já pedi à Secretaria de Segurança Pública a designação de um delegado para que a polícia descubra efetivamente quem são os responsáveis por essa fraude. Eles fraudaram a folha, receberam isso há um ano, guardaram e foram soltar agora dizendo que havia um escândalo. O escândalo tem, sim, na fraude. Fraude é crime. Criminosos serão descobertos e se forem funcionários públicos perderão os cargos, os empregos, a bem do serviço público, e se não forem serão também processados na Justiça”, disse Ricardo.

O governador classificou os codificados como clandestinos em governos anteriores: “Ninguém sabia quanto ganhavam, se trabalhavam ou não, era assim que era na época de Cássio Cunha Lima. Assim que era desde o ano 2000. Eu fui o governador, o primeiro e o único até agora que encaminhei para o TCE a relação procurando dar transparência a isso e fui eu quem diminuiu o número de codificados. Este governo tem um compromisso sério e verdadeiro com a questão da transparência e respeito ao dinheiro público”, comentou.

A redação do Portal Correio tentou entrar falar com o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), citado pelo governador, mas não foi possível estabelecer contato.

Portal Correio

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
error: Não Permitido!
Fechar