Você não tem permissão para copiar esta notícia entre em contato com os administradores do Google.
Início / Política / Prefeito de Gurjão diz que seu nome foi inserido indevidamente em lista de condenados por improbidade

Prefeito de Gurjão diz que seu nome foi inserido indevidamente em lista de condenados por improbidade

timthumb (17)

O prefeito do município de Gurjão, Ronaldo Queiroz, considerou como estranha, descabida e sem respaldo no mundo jurídico, a notícia divulgada pelo TJ/PB, que informa que o ele teria sido condenado na Ação de Improbidade nº 0000915-51.2013.815.0341. Segundo o prefeito, ele não é réu, nem tampouco chegou a responder qualquer AÇÃO DE IMPROBIDADE.

“Durante os quase quatro anos de gestão não existiu, nem existe, uma única ação de improbidade contra o gestor. Na ação civil pública de nº 0000915-51.2013.815.0341, na qual o Prefeito não é réu, o Município de Gurjão firmou acordo judicial para realização de concurso público no prazo de 06(seis) meses tendo sido o acordo homologado através de SENTENÇA transitada em julgado que já estava em fase de cumprimento de sentença”, diz a assessoria jurídica do prefeito.

Confira a nota do prefeito:

A notícia divulgada pelo TJ/PB, que informa que o Prefeito de Gurjão Ronaldo Ramos de Queiroz teria sido condenado na Ação de Improbidade nº 0000915-51.2013.815.0341, é estranha, descabida e não tem respaldo no mundo jurídico. O prefeito não é réu, nem tampouco chegou a responder qualquer AÇÃO DE IMPROBIDADE. Durante os quase quatro anos de gestão não existiu, nem existe, uma única ação de improbidade contra o gestor. Na ação civil pública de nº 0000915-51.2013.815.0341, na qual o Prefeito não é réu, o Município de Gurjão firmou acordo judicial para realização de concurso público no prazo de 06(seis) meses tendo sido o acordo homologado através de SENTENÇA transitada em julgado que já estava em fase de cumprimento de sentença. O acordo para realização do concurso vem sendo cumprido pelo Município que já lançou edital para contratação de empresa para realização do concurso público no qual a empresa CONPASS se sagrou vencedora, teve sua contratação formalizada e está em vias de lançar o EDITAL DO CONCURSO. Fere qualquer norma elementar de direito admitir que agora o processo venha a ser julgado NOVAMENTE e contra quem sequer é réu no mesmo. Mais estranha ainda a NOTÍCIA quando se verifica na movimentação processual que até a data de hoje (08/07/2016) não houve o julgamento de que trata a notícia veiculada pelo TJ/PB transparecendo que se trata, como de fato é, de um lamentável equívoco. Daniel Dalônio Vilar Filho – Advogado OAB/PB 10822

Sobre O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Aproveite e Veja Também...

Lulu dos Tropicais vai pagar salário mínimo e não pode sair da comarca sem autorização por apresentar atestado falso

O Juiz da 2° Vara Mista da Comarca de Monteiro determinou que o ex-candidato derrotado …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *