Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Início / Mundo / Gêmeas siamesas viajam 15h em moto na selva

Gêmeas siamesas viajam 15h em moto na selva

 

As  gêmeas siamesas Anick e Destin têm poucas semanas de vida, mas já colecionam histórias memoráveis e grandes emoções desde o instante que nasceram.

Elas vieram ao mundo em uma região da República Democrática do Congo chamada Muzombo – onde não há qualquer hospital ou estrutura para acolher um caso desse tipo. Nascidas longe de qualquer acompanhamento médico em um parto normal na vila, as duas precisavam urgentemente de assistência para terem chances de sobreviver.

Os pais, Claudine Mukhena e Zaiko Munzadi, imediatamente colocaram os bebês recém-nascidos na garupa de uma moto e avançaram em uma jornada épica para tentar salvar as meninas. Foram pelo menos 15 horas de viagem passando por estradas estreitas e pela floresta até chegarem ao hospital mais próximo, em Vanga.

Lá, porém, não havia o equipamento necessário, nem médicos com experiência para fazerem uma cirurgia complexa, como é a da separação de siameses. Assim, os pais das meninas contaram com a ajuda de uma companhia aérea humanitária (MAF) para viajarem de avião até a capital, Kinshasa, onde as filhas finalmente receberam o atendimento de que precisavam.

Foram pelo menos 1.400 quilômetros percorridos e muita tensão dos pais para tentar salvar as gêmeas, que agora estão saudáveis e monitoradas pelo hospital.

As duas não compartilhavam nenhum órgão, mas nasceram grudadas – e de forma natural – quando a mãe completou 37 semanas de gravidez.

G1

Sobre O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Aproveite e Veja Também...

Igreja Anglicana diz que meninos devem ser livres para usar saias e saltos sem preconceitos

A Igreja Anglicana publicou um novo guia de aconselhamento contra o bullying por orientação sexual …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *