DestaquesEsportes

Alemanha passa no drama dos pênaltis na Euro sem quebrar tabu contra Itália

ozil-comemora-apos-marcar-para-a-alemanha-contra-a-italia-na-eurocopa-1467491521919_615x300 Alemanha passa no drama dos pênaltis na Euro sem quebrar tabu contra Itália

Não foi como a maioria dos alemães desejavam, mas o mais importante aconteceu. Neste sábado, no estádio do Bordeaux, a Alemanha não conseguiu quebrar o tabu de nunca ter vencido a Itália em partidas oficiais na história, mas, após empatar por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, foi mais competente nas cobranças de pênaltis, venceu por 6 a 5, eliminou a grande rival e se garantiu na semifinal da Eurocopa.

?dc=5550001577;ord=1467496646440 Alemanha passa no drama dos pênaltis na Euro sem quebrar tabu contra ItáliaCom a classificação, a Alemanha agora espera o confronto entre a dona da casa França contra Islândia, uma das sensações da competição, que avançou às quartas após eliminar a Inglaterra. A partida acontece neste domingo, às 16h (de Brasília), no Stade de France. Já a semifinal entre essas equipes será realizada no Velódrome, na próxima quinta-feira (7), também às 16h.

Quem foi bem: Özil, autor do gol

Depois de um primeiro escondido, assim como toda Alemanha, Özil “acordou” na etapa final e fez a diferença para os alemães. Com bons toques de bola e movimentação no ataque, o jogador do Arsenal comandou o meio de campo e ainda chegou na área para finalizar. Após cruzamento de Hector, ele viu a bola desviar no marcador e cair nos seus pés para pegar de primeira e estufar as redes de Buffon. Nos pênaltis, no entanto, acertou a trave, mas viu Neuer salvar com defesas importantes.

Freguesia mantida

Em toda a sua vitoriosa trajetória, a seleção alemã nunca conseguiu ganhar da Itália em jogos oficiais, seja em edições de Euro ou de Copa do Mundo, mantendo um tabu que já dura 54 anos, já que o primeiro encontro entre os dois países nessas competições foi na Copa de 1962, no Chile, quando empataram sem gols na fase de grupos.

Escalações diferentes

Christian Hartmann/Reuters

Höwedes (dir.) entrou como titular para reforçar a marcação alemã

Pelo lado alemão, a grande surpresa foi a ausência de Draxler, que vive bom momento, entre os titulares. Joachim Löw preferiu começar com Höwedes, defensor do Schalke 04, que atua tanto como lateral quanto zagueiro. Já o técnico rival não teve De Rossi, com dores na coxa direita, e Thiago Motta, suspenso pelo acúmulo de cartões amarelos. Então, Conte optou pela entrada de Sturaro, jovem volante da Juventus, no meio de campo italiano.

1º tempo morno

Christian Hartmann/Reuters

Primeiro tempo foi de muita marcação entre Alemanha e Itália

Diferente do que era esperado, o primeiro tempo entre Alemanha e Itália foi morno. As duas equipes demonstraram muita cautela nos primeiros 45 minutos e pouco se arriscaram no ataque. As melhores chances aconteceram apenas no final, sendo uma para cada lado. Aos 42, Müller ficou com a bola dentro da área, mas não pegou bem e foi presa fácil para Buffon. Dois minutos depois, Sturaro arriscou de fora da área, mas Boateng fez um desvio preciso no meio do caminho.

Schweinsteiger, o capitão

Mesmo não vivendo grande fase, Bastian Schweinsteiger conseguiu entrar em campo neste sábado e igualar um importante número entre os ídolos da seleção alemã. O volante do Manchester United começou no banco de reservas, mas teve oportunidade de jogar aos 15min da etapa inicial, quando Khedira sentiu uma lesão na virilha e deu lugar ao camisa 7. Ao pisar no gramado, já recebeu a braçadeira de capitão dos companheiros e chegou aos 37 jogos pela Alemanha somando Eurocopa e Copas do Mundo, mesmo número de Klose, maior artilheiro da história dos mundiais.

FICHA TÉCNICA

ALEMANHA 1 (6) X (5) 1 ITÁLIA

Local: Estádio Matmut Atlantique, em Bordeaux (França)
Data: 2 de julho de 2016 (Sábado)
Horário: 16h(de Brasília)
Árbitro: Viktor Kassai (Hungria)
Gol: Özil, aos 21min, e Bonucci, aos 32 do 2º tempo

ALEMANHA: Manuel Neuer, Höwedes, Jérôme Boateng, Mats Hummels e Jonas Hector; Toni Kroos, Sami Khedira (Schweinsteiger), Mesut Özil, Joshua Kimmich; Mario Gomez (Draxler) e Thomas Müller.
Técnico: Joachim Löw

ITÁLIA: Gianluigi Buffon, Leonardo Bonucci, Giorgio Chiellini, Andrea Barzagli e Mattia De Sciglio; Sturaro, Marco Parolo, Alessandro Florenzi (Darmian) e Emanuele Giaccherini; Graziano Pellè e Éder.
Técnico: Antonio Conte

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar