Esportes

Cris Cyborg atropela Kunitskaya e desafia Amanda Nunes “”Quando você desafia a Cyborg, vai ter que aguentar”

Cris-Cyborg-x-Amanda-Nunes Cris Cyborg atropela Kunitskaya e desafia Amanda Nunes ""Quando você desafia a Cyborg, vai ter que aguentar"

Na história, mulheres guerreiras fazem parte da mitologia de diversos países. Na Grécia, as Amazonas; na Roma antiga, Diana, a deusa da caça; na mitologia nórdica, as Valquírias. No Brasil, Cris Cyborg tem todo o direito de exigir um lugar na história. Há quase 13 anos sem ser derrotada, a paranaense aumentou para 20 o número de lutas invicta ao nocautear a russa Yana Kunitskaya aos 3m25s do primeiro round da luta principal do UFC 222, neste sábado, em Las Vegas. Sem perder desde 2005, Cyborg defendeu pela segunda vez o cinturão peso-pena do UFC, e ratificou seu nome como a atleta de MMA mais dominante da história.

– Quero agradecer a todos os meus fãs que estiveram aqui. Eu sou uma representante da Chute Boxe, e estou pronta. Eu quero enfrentar Amanda Nunes na minha próxima luta. É brasileira contra brasileira. É triste, mas ela pediu e, quando você desafia Cris Cyborg, vai ter que aguentar – disparou a campeã peso-pena

Cris Cyborg foi com tudo para cima de Yana Kunitskaya no UFC 222 (Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images)

A luta começou com Cyborg acertando um duro golpe de direita em Kunitskaya. A russa sentiu, e imediatamente buscou a perna da brasileira. Cyborg ficou por baixo no chão, e a desafiante tentou dominar suas costas na grade. A campeã livrou-se da posição, mas ficou pressionada na grade, recebendo joelhadas na linha de cintura e no abdômen. Kunitskaya tentava a queda com um single leg, mas Cyborg se mantinha de pé.

Etiquetas

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Um Comentário

  1. Vc comparou motocross e MMA com F1. Não faz sentido. O que o Button quis dizer é que o nível de exigência física da F1 é alcançável por uma mulher. Acredito que uma mulher consiga alcançar o nível de preparo físico do Massa, por exemplo. Alcançar o nível do John Jones realmente é impossível. Sobre a Danica sofrer nos carros da Indy, o Barrichello afirmou em entrevista ao Téo José (tem no YouTube) que pediu um volante com diâmetro maior pq ele não estava aguentando o peso da direção. Quem aguenta Indy aguenta F1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar