Brasil

Diante de morte de Marielle, deputados europeus pedem suspensão de negociação com Mercosul

1521077991376-300x300 Diante de morte de Marielle, deputados europeus pedem suspensão de negociação com Mercosul

O grupo representa menos de 10% dos 750 membros do Parlamento Europeu. Ainda assim, na carta, os deputados do partido espanhol insistiram que a Europa deve exigir que o Brasil faça “uma investigação independente, rápida e exaustiva que permita chegar à verdade e Justiça”.

A carta foi assinada por Miguel Urbán, deputado do Podemos no Parlamento Europeu e porta-voz do grupo político. O documento foi enviado para a Alta Representante para Assuntos Exteriores da Europa, Federica Mogherini.

Urbán também fez uma declaração, em plena reunião do Parlamento Europeu, com cartazes em homenagem à vereadora brasileira.

“Sendo o Brasil um país sócio da UE e observando que a Comissão está negociando atualmente um acordo comercial com o Mercosul, (pedimos) que as negociações comerciais sejam suspensas de forma imediata e seja manifestado seu compromisso com a defesa dos direitos humanos”, aponta o documento, obtido pelo Estado.

“As atividades das pessoas comprometidas com a defesa dos direitos humanos são mais que necessárias”, escreveu. O grupo cita informes que revelam que, em 2017, 312 defensores de direitos humanos foram mortos pelo mundo. Desses, 26 eram brasileiros.

“Assistimos, uma vez mais, o assassinato de uma ativista feminista e defensores de direitos humanos, um crime que se produz no contexto de um aumento da violência no Brasil e no Rio de Janeiro”, disse Urbán. Para ele, isso é “fruto de uma crise econômica e social e das políticas de austeridade” conduzidas pelo governo de Michel Temer.

O parlamentar ainda cita a intervenção federal no Rio e insiste que “o assassinato de Marielle Franco foi deliberado”. “A sombra de uma execução planejada com o objetivo de amedrontar as vozes críticas e defensoras dos oprimidos e de influenciar em campanha eleitoral que está começando”, disse.

O vice-presidente da Delegação do Parlamento Europeu para o Mercosul, deputado Xabier Benito, também usou a morte da vereadora para atacar o governo de Temer. Segundo ele, é a atual gestão a “responsável pelo aumento das desigualdades e da violência no País”. “Também o é subsidiariamente desse assassinato”, declarou o deputado, também do Podemos.

“Mostramos toda nossa solidariedade com as companheiras e familiares de Marielle, e seguiremos exigindo desde o Parlamento Europeu a defesa dos direitos humanos e o papel que desempenham essas pessoas que, como Marielle, arriscam suas vidas por essa luta”, disse Benito.

BBC

Etiquetas

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar