Policial

Hospital na PB abre sindicância para apurar troca de corpos em necrotério após denúncia de família

hospi Hospital na PB abre sindicância para apurar troca de corpos em necrotério após denúncia de família

Uma moradora de Patos, no Sertão da Paraíba, relatou que seu pai morreu com suspeita de infecção pelo novo coronavírus e a família recebeu o corpo errado. A troca aconteceu no necrotério do Hospital Regional de Patos, onde Jeová Ferreira Nunes, de 50 anos, estava internado desde quinta-feira (7), na UTI.

Segundo a jovem, os familiares da mulher que morreu de causas naturais viram, na hora de reconhecer o corpo, que estavam diante do cadáver errado e souberam que a parente foi enterrada pela outra família. Eles providenciaram a troca dos corpos no cemitério e acabaram enterrando a mulher, da própria família, e Jeová Ferreira, da outra família que recebeu o caixão lacrado e com o corpo errado.

A jovem que relatou ter recebido o cadáver de outra família contou que o pai morreu no domingo (10) e o sepultamento foi feito às 22h do mesmo dia. Ela disse em entrevista à TV Sol que só ficara sabendo da troca na noite de ontem (11) e por outras pessoas, e não pela direção do Complexo Regional de Patos.

Em nota, o Hospital Regional de Patos informou que abriu sindicância para apurar a troca de corpos e “reitera ainda que segue protocolos rígidos de identificação de corpos após atestado de óbito ocorrido na unidade.”

Veja a nota na íntegra

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) esclarece que já abriu sindicância para apurar o caso de troca de corpos ocorrido em seu necrotério. Reitera ainda que segue protocolos rígidos de identificação de corpos após atestado de óbito ocorrido na unidade.

Não fugiu aos procedimentos a identificação de dois pacientes que vieram a óbito no último dia 11/05: o de uma senhora, ocorrido na área vermelha, e de um senhor, no isolamento Covid. Em ambos os casos, a equipe de Enfermagem seguiu a rotina e fez as identificações duplas, ou seja, tanto no próprio corpo, através de fitas adesivas, quanto no involucro, como determina o protocolo.

Reiteramos que a sindicância apurará os fatos até para que não pairem dúvidas sobre esse lastimável acontecimento. Também nos solidarizamos às famílias dos mortos, com a consciência que fizemos o que teve ao nosso alcance para que eles tivessem a melhor assistência em suas necessidades. Às famílias, nossa solidariedade e sentimento de pesar e à disposição para juntos descobrirmos quem gerou esse lamentável acontecimento.

CHRDJC

Patos, 12 de Maio de 2020

Click PB

Etiquetas

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar