DestaquesParaíba

Municípios contratam empresas de fachada para executar obras na PB

images Municípios contratam empresas de fachada para executar obras na PB

Um auditoria realizada pelo Tribunal de Contas da União constatou irregularidades na contratação e pagamento a empresas de fachadas responsáveis por obras de cinco municípios paraibanos, que estão paralisadas.

De acordo com o relatório apresentado pelo ministro Bruno Dantas, as obras custaram mais de R$ 5,2 milhões e foram analisadas através da fiscalização de Orientação Centralizada (FOC) de Obras Paralisadas no Nordeste, que tem como intuito verificar da regularidade de ações voltadas para saúde, educação e saneamento na Paraíba.

Segundo o voto do ministro, foram encontradas inconsistências na execução da conclusão da Unidade de Atenção Especializada em Saúde, em Pedras de Fogo, no valor de R$ 2,6 milhões, construções de uma quadra escolar coberta com vestiário, em Areia, Montadas e Fagundes, no valor de R$ 509 mil cada e obras de sistema de abastecimento de água em Pedra Lavrada, que custaram R$ 1 milhão.

A empresa M. da Silva Barbosa Construção havia sido, segundo o ministro, contratada para executar duas obras, mas não foi constada a existência da empresa. Outras duas eram de responsabilidade de outra construtora com indício de empresa de fachada.

“Tendo em conta os efeitos da situação dessas obras, a exemplo de “desperdício de recursos públicos, do aumento do sentimento de impunidade e da não disponibilização de serviços públicos para a população”, a equipe, com a anuência do corpo diretivo da unidade instrutora, propõe determinar às entidades concedentes que avaliem a situação atual das obras, de modo a apurar possíveis irregularidades ensejadoras de dano ao erário e responsabilizar os envolvidos, sem prejuízo de avaliarem a oportunidade de continuidade da obra, no âmbito do atual ajuste ou de outro, de modo a retomar e concluir o empreendimento”, diz um trecho do despacho.

O ministro determinou, ainda, que a Funasa, FNDE e ao Ministério da Saúde, para que em conjunto com a Caixa Econômica Federal, acompanhem a implementação das providências por parte dos municípios, sem prejuízo da instauração de tomadas de contas especiais, no caso de dano ao erário.

O relatório vai ser encaminhado para análise da Corte do Tribunal.

MaisPB

Etiquetas

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar