Esportes

O caminho da base até a Seleção Olímpica

20160722123134_0-300x200 O caminho da base até a Seleção Olímpica

O projeto olímpico da CBF começou há dois anos. De lá para cá, mais de 80 jogadores foram observados. No entanto, muitos deles já haviam passado por alguma categoria de base da Seleção Brasileira anteriormente. No caso, da convocação final para a disputa dos Jogos Olímpicos Rio 2016, 14 dos 18 relacionados tiveram experiências quando ainda eram garotos.

Confira abaixo como e quando foi a passagem de cada um pela base:

Uilson – Goleiro do Atlético Mineiro, de sorriso tímido e muita disposição em campo, esteve presente na conquista do Sul-Americano Sub-17 de 2011 e também na campanha que culminou com a quarta colocação do Mundial do México do mesmo ano.

Douglas Santos – Depois de se destacar no Náutico em 2012, já no time profissional, o lateral-esquerdo foi chamado para o Sul-Americano Sub-20 da Argentina 2013. O Brasil não passou da primeira fase.

Marquinhos – Convocado desde a Sub-17 para servir à Seleção, o zagueiro foi capitão da conquista do Sul-Americano Sub-17 de 2011, no Equador, e também liderou a equipe no Mundial do México daquele ano. Chamado para a Sub-20 em 2013, não pôde se apresentar, pois não foi liberado pelo seu clube na época, o Roma, da Itália.

Rodrigo Caio – Ainda jogando como volante na época, foi chamado por Ney Franco para compor a Sub-20 em 2012. Conquistou um quadrangular na Argentina e disputou dois amistosos contra o Paraguai, mas não chegou a jogar em competições oficiais.

Luan Garcia – Também teve sua primeira oportunidade em 2012, com Ney Franco, quando conquistou o Torneio Oito Nações, na África do Sul, e esteve no título do mesmo quadrangular que Rodrigo Caio. Em 2013, foi capitão da Seleção Sub-20 no Sul-Americano da Argentina.

Rodrigo Dourado – Assim como Uilson e Marquinhos, foi campeão do Sul-Americano Sub-17 em 2011, no Equador. No entanto, ficou de fora da lista do Mundial do México alguns meses depois.

Thiago Maia – Convocado pela primeira vez em 2013, disputou o Sul-Americano Sub-17 da Argentina, quando o Brasil ficou na terceira colocação, e também o Mundial dos Emirados Árabes do mesmo ano, sendo eliminado pelo México nas quartas de final. Em 2015, já na Sub-20, disputou o Sul-Americano do Uruguai e terminou em quarto lugar.

Walace – O meia foi um dos integrantes da Seleção Brasileira Sub-20 que ficou na quarta colocação do Sul-Americano do Uruguai em 2015, mas ajudou a garantir vaga para o país no Mundial da Nova Zelândia.

Rafael Alcântara – Formado nas divisões de base do Barcelona, o meia foi chamado para a disputa do Sul-Americano Sub-20 de 2013, na Argentina. Foi sua primeira vez com a amarelinha.

Felipe Anderson – Sua primeira competição oficial pelo Brasil foi o Pan de Guadalajara, em 2011. Também esteve presente no mesmo quadrangular na Argentina que participaram Luan e Rodrigo Caio. Em 2013, participou do Sul-Americano Sub-20, também na Argentina.

Renato Augusto – Foi vice-campeão mundial em 2005 pela Seleção Sub-17, derrotada na época para o México. Dois anos depois, vestiu a camisa 10 no Mundial do Canadá Sub-20. O Brasil caiu para a Espanha nas oitavas de final.

Gabriel Jesus – Sua primeira convocação foi para um período de treinos na Áustria. De lá, garantiu vaga para o Mundial Sub-20 da Nova Zelândia de 2015, quando foi um dos destaques da campanha que culminou com o segundo lugar para o Brasil.

Gabriel Barbosa – Foi convocado pela primeira vez ainda na Sub-15, mas seu primeiro torneio oficial pela Seleção foi o Mundial Sub-17 dos Emirados Árabes, em 2013. Também fez parte da equipe do Sul-Americano Sub-20 de 2015, na Argentina.

Neymar – Em 2009, ainda como Sub-17, Neymar participou do Mundial da Nigéria, quando marcou um gol na estreia da competição. No entanto, seu primeiro título com a Seleção foi no Sul-Americano Sub-20 de 2011. Destaque da equipe, bateu o recorde de artilharia do torneio com nove gols em nove jogos.

Vale ressaltar ainda que o atacante Luan, além dos laterais William e Zeca, já haviam sido convocados para a Seleção Olímpica durante os dois anos de preparação. O atacante, por exemplo, participou da conquista do Torneio de Toulon em 2014, competição Sub-21 à época, mesma idade limite dos Jogos. Os defensores foram chamados para amistosos. No entanto, como as categorias de base para a FIFA se encerram no Sub-20, eles não entraram nesta lista.

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar