Política

Prefeito de Cabedelo é encaminhado para o 5º Batalhão de Polícia Militar

Leto-Viana_PF-1-300x132 Prefeito de Cabedelo é encaminhado para o 5º Batalhão de Polícia MilitarO prefeito de Cabedelo Leto Viana preso, na manhã desta terça-feira (3) durante a operação Xeque-Mate foi encaminhando para o 5º Batalhão de Polícia Militar, em João Pessoa, após audiência de custódia realizada no Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB). Além de Leto, outros 10 presos durante a operação passam pela audiência na tarde desta terça-feira.

A ação foi realizada pela Polícia Federal em conjunto com o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público estadual em cumprimento aos mandados autorizados pelo desembargador João Benedito da Silva e teve como finalidade de desarticular um suposto esquema de corrupção na Administração Pública do Município de Cabedelo.

Entre os envolvidos estão: o prefeito de Cabedelo, Wellington Viana Franca (Leto Viana); presidente da Câmara, Lúcio José do Nascimento Araújo; a esposa do prefeito e vereadora do município, Jacqueline Monteiro Franca (vice-presidente da Câmara); além dos parlamentares Tércio de Figueiredo Dornelas Filho, Rosildo Pereira de Araújo Júnior (“Júnior Datele”), e Antônio Bezerra do Valle Filho.

Também foram presos preventivamente Marcos Antônio da Silva dos Santos, Inaldo Figueiredo da Silva, Gleuryston Vasconcelos Bezerra Filho, Adeildo Bezerra Duarte e Leila Maria Viana do Amaral (irmã do prefeito). Segundo TJPB, os envolvidos vão responder por organização criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e fraude licitatória.

Operação Xeque-Mate

A colaboração premiada do ex-presidente da Câmara Municipal de Cabedelo, Lucas Santino, foi o elemento que deu início às investigações que culminaram na prisão do prefeito do município, Leto Viana, na manhã desta terça-feira (3). O esquema teria desviado R$ 30 milhões em recursos públicos. Um dos pontos registrados na colaboração premiada foi a tentativa de homicídio de um vereador da cidade que estaria relacionada com o esquema de corrupção, mas o delegado da Polícia Federal Fabiano Emídio explicou que este fato já está sendo investigado na esfera criminal e que, por isso, a operação não se debruçou sobre ele. A motivação deste crime seria briga política.

A partir da denúncia, feita há cerca de um ano e dois meses, o prefeito foi investigado por formação de organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Nesta terça-feira, operação Xeque-Mate prendeu 11 pessoas, entre elas o prefeito Leto Viana, cinco vereadores, incluindo a esposa de Leto, Jacqueline Monteiro França, e mais cinco servidores públicos do município. O vice prefeito da cidade não foi preso, mas foi afastado do cargo. Ao todo, 85 pessoas foram afastadas de seus cargos públicos na cidade para evitar o que a polícia chama de ‘sangria dos cofres públicos’ durante a investigação.

jp

Etiquetas

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar