Política

Cães de rua são recolhidos, trancados e mortos com tiros e pauladas na cidade de Igaracy, no sertão da Paraíba

868ed0bf-bd2b-49c1-99b0-0603237bf037-300x225 Cães de rua são recolhidos, trancados e mortos com tiros e pauladas na cidade de Igaracy, no sertão da Paraíba

Cerca de 31 cachorros foram sacrificados na noite de terça-feira (6) na cidade de Igaracy, Sertão da Paraíba. De acordo com o secretário de Saúde da cidade, José Carlos Maia, conhecido como “Zé Cobrinha”, os animais estavam doentes. O secretário ainda afirmou que outros animais de rua, independente do estado de saúde, serão mortos.

“Não existe cachorro de rua saudável”, afirmou o secretário ao Portal MaisPB. Ele ainda argumenta que a medida é de contenção e em favor dos moradores, que podem ser ‘infectados’ pelos animais.  “Não podemos ficar com animais de rua e esperar que apareça problemas de saúde na população”, pontua.

A única forma de os animais não serem mortos, é se pessoas dispostas a adotar os cachorros aparecerem.

Segundo José Carlos, os animais sacrificados tinham doenças como infestação parasitária, doença do carrapato, tumores de pele e não tinham condição de recuperação. “Eu ia ficar com animais moribundos aonde?”, indagou. Ainda de acordo com José, cidades vizinhas ‘descarregaram’ alguns animais em Igaracy, e até proprietários de animais entregaram animais para serem sacrificados.

“Foi uma medida drástica, mas é a que o município disponibiliza”, afirmou. O secretário ainda informou, que existe uma lei municipal que garante que os animais sem dono são de propriedade da cidade.

O secretário, que também é veterinário, afirma que os cachorros foram sacrificados através de eutanásia – morte com sedativos.

MaisPB

Etiquetas

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar