Política

Ricardo, Haddad, Boulos, Dino e Sônia se reúnem para discutir oposição a Bolsonaro

26-03-2019.174133_DESTAQUE Ricardo, Haddad, Boulos, Dino e Sônia se reúnem para discutir oposição a Bolsonaro

Partidos com orientação de esquerda, no país, deram início nesta terça-feira (26) às discussões sobre uma oposição mais sistemática ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). O encontro contou com representação de pelo menos três partidos: PT, PSB e PCdoB. Da reunião resultou uma carta com críticas à Reforma da Previdência, à postura entreguista do capitão reformado do Exército em relação aos Estados Unidos e ainda à comemoração do golpe militar nos quartéis, no dia 31 de março. Estiveram presentes o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), os ex-presidenciáveis Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e a ex-vice na chapa encabeçada por Boulos no ano passado, Sônia Guajajara (PCdoB).

O encontro foi articulado por Boulos e Haddad após a avaliação de que a falta de unidade dos partidos de esquerda tem sido um empecilho para que a oposição consiga ocupar mais espaço em à crise política no governo. “Diálogos democráticos visando derrotar o retrocesso social, ampliar a unidade em torno da Democracia e avançar com um projeto nacional”, disse Ricardo Coutinho em uma rede social.

Confira a nota à imprensa
“Reunidos nesta manhã (26 de março) em Brasília, realizamos um debate sobre o atual momento nacional, especialmente considerando o rápido e profundo desgaste do Governo Bolsonaro. Destacamos alguns pontos para reflexão de toda a sociedade:

1. Estamos atentos e mobilizados para evitar agudos retrocessos sociais, trazidos por esse projeto de Reforma da Previdência, centrado no regime de capitalização e no corte de direitos dos mais pobres.

2. Do mesmo modo, convidamos para a defesa da soberania nacional. Consideramos que por trás do suposto discurso patriótico do atual governo há, na prática, atitudes marcadamente antinacionais, como vimos na recente visita presidencial aos Estados Unidos.

3. Em face da absurda decisão do Governo Bolsonaro de “comemorar” o Golpe Militar de 1964, no próximo dia 31 de março, manifestamos nossa solidariedade aos torturados e às famílias dos desaparecidos. Sublinhamos a centralidade da questão democrática, que se manifesta na defesa do Estado de Direito, das garantias fundamentais e no repúdio a atos de violência contra populações pobres e exploradas, a exemplo das periferias, dos negros e dos índios. Não aceitamos a criminalização dos movimentos sociais, uma vez que eles são essenciais para uma vivência autenticamente democrática.

Nesse contexto, é urgente assegurar ao ex-presidente Lula seus direitos previstos em lei e tratamento isonômico, não se justificando a manutenção de sua prisão sem condenação transitada em julgado.

Por fim, essa reunião expressa o desejo de ampla unidade do campo democrático para resistir aos retrocessos e oferecer propostas progressistas para o Brasil.

Leia mais no Partidos com orientação de esquerda, no país, deram início nesta terça-feira (26) às discussões sobre uma oposição mais sistemática ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). O encontro contou com representação de pelo menos três partidos: PT, PSB e PCdoB. Da reunião resultou uma carta com críticas à Reforma da Previdência, à postura entreguista do capitão reformado do Exército em relação aos Estados Unidos e ainda à comemoração do golpe militar nos quartéis, no dia 31 de março. Estiveram presentes o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), os ex-presidenciáveis Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e a ex-vice na chapa encabeçada por Boulos no ano passado, Sônia Guajajara (PCdoB).

O encontro foi articulado por Boulos e Haddad após a avaliação de que a falta de unidade dos partidos de esquerda tem sido um empecilho para que a oposição consiga ocupar mais espaço em à crise política no governo. “Diálogos democráticos visando derrotar o retrocesso social, ampliar a unidade em torno da Democracia e avançar com um projeto nacional”, disse Ricardo Coutinho em uma rede social.

Confira a nota à imprensa
“Reunidos nesta manhã (26 de março) em Brasília, realizamos um debate sobre o atual momento nacional, especialmente considerando o rápido e profundo desgaste do Governo Bolsonaro. Destacamos alguns pontos para reflexão de toda a sociedade:

1. Estamos atentos e mobilizados para evitar agudos retrocessos sociais, trazidos por esse projeto de Reforma da Previdência, centrado no regime de capitalização e no corte de direitos dos mais pobres.

2. Do mesmo modo, convidamos para a defesa da soberania nacional. Consideramos que por trás do suposto discurso patriótico do atual governo há, na prática, atitudes marcadamente antinacionais, como vimos na recente visita presidencial aos Estados Unidos.

3. Em face da absurda decisão do Governo Bolsonaro de “comemorar” o Golpe Militar de 1964, no próximo dia 31 de março, manifestamos nossa solidariedade aos torturados e às famílias dos desaparecidos. Sublinhamos a centralidade da questão democrática, que se manifesta na defesa do Estado de Direito, das garantias fundamentais e no repúdio a atos de violência contra populações pobres e exploradas, a exemplo das periferias, dos negros e dos índios. Não aceitamos a criminalização dos movimentos sociais, uma vez que eles são essenciais para uma vivência autenticamente democrática.

Nesse contexto, é urgente assegurar ao ex-presidente Lula seus direitos previstos em lei e tratamento isonômico, não se justificando a manutenção de sua prisão sem condenação transitada em julgado.

Por fim, essa reunião expressa o desejo de ampla unidade do campo democrático para resistir aos retrocessos e oferecer propostas progressistas para o Brasil.

Jornal da Paraíba

Etiquetas

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar