DestaquesPolítica

Ricardo reuniu conselheiros do TCE e apresentou dossiê contra eles e familiares

d9d723f6-a836-4e3e-bc89-03060a9770bd-700x394 Ricardo reuniu conselheiros do TCE e apresentou dossiê contra eles e familiaresO ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), apontado pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) como chefe de uma organização criminosa suspeita de desviar R$ 134 milhões de contratos do Estado com organizações sociais, se reuniu com conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) para apresentar um dossiê contra eles e familiares.

Os nomes dos integrantes da Corte que estiveram reunidos com Ricardo, porém, não foram revelados.

O encontro está relatado na nova denúncia apresentada pelo Gaeco contra Ricardo e outras seis pessoas no âmbito da Operação Calvário.

Segundo as investigações, o colaborador Daniel Gomes informou que como parte do esquema que mirava os conselheiros, liderado por Ricardo, o resultado do dossiê, com informações particulares dos servidores da Corte e familiares, incluindo crianças, foi apresentado aos conselheiros durante uma reunião que também contou com a presença de Coutinho e do ex-procurador Gilberto Carneiro.

“Fica evidente que o predito relatório se transveste de grave ameaça, com o fim de favorecer interesse próprio da empresa criminosa gerida por RICARDO COUTINHO contra as autoridades do Tribunal de Contas, com o fim de intervir em procedimento administrativo gestado por aquele órgão”.

Ainda de acordo com a denúncia, após a reunião ficou constada a mudança de postura do TCE contra o Estado, que antes era tido como agressiva.

“A começar pelo número ele auditorias sofridas pela CVB-RS que penou, drasticamente, uma redução passando a ser realizadas a cada dois anos. Outra mudança sensível depois de divulgado o resultado da investigação privada aos membros do TCE-PB, foi a retirada do auditor Richard Euler do comando das auditorias realizadas no HEETSHL (Hospital de Emergência e Trauma). Além disso, ainda como resultado da conclusão das investigações, verificou-se que os procedimentos relacionados ao Hospital de Trauma passaram a ter uma tramitação diferente, ou seja, bem mais lenta, portanto, o que acabou retardando, em muito, a identificação de irregularidades e, por consequência, a adoção de providências sob o pálio daquela Corte de Contas”.

Wallison Bezerra – MaisPB

Etiquetas

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar