DestaquesPolicial

Serra-branquense é assassinado a tiros dentro de casa e polícia acredita em latrocínio

64244293_861682797520010_861036897265254400_n-600x450-520x390 Serra-branquense é assassinado a tiros dentro de casa e polícia acredita em latrocínioA cidade de Serra Branca amanheceu triste com a notícia da morte de Normando de Rebolo. O serra-branquense foi assassinado em sua própria chácara, na noite desta quinta-feira (13), tendo seu corpo encontrado apenas na manhã desta sexta (14).

Normando recebeu pelo menos três disparos de arma de fogo e segundo populares tiros foram ouvidos por volta das 18h30 desta quinta-feira. Moradores pensaram se tratar de bombas de São João e não se aperceberam o que poderia está ocorrendo. Vale ressaltar que a chácara onde morava Normando fica em lugar reservado, às margens da BR 412.

A reportagem do portal De Olho no Cariri esteve no local do crime e segundo informações da polícia, duas linhas de investigação são as mais fortes para definir a causa do crime.

A principal delas é “latrocínio”, uma vez que a casa de Normando estava revirada e a porta dos fundos arrombada. Os bandidos foram direto ao quarto de Normando e há roubaram alguns objetos, além de deixar tudo bagunçado. É possível que Normando estivesse entrando em casa quando se deparou com os criminosos e neste momento recebeu os disparos.

Ainda assim, a polícia não descarta a possibilidade de execução, especialmente pelas relações financeiras que possuía a vítima.

O corpo está sendo periciado e será levado para o IML para em seguida ser liberado para sepultamento. Não há ainda informações sobre velório e enterro.

De Olho no Cariri

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo