Você não tem permissão para copiar esta notícia entre em contato com os administradores do Google.
Início / Mundo / Japonês mata filho de 12 anos por não estudar o suficiente

Japonês mata filho de 12 anos por não estudar o suficiente

e394dc10efb2d99ecd705e3c0d3a1cb6

Um japonês esfaqueou seu filho de 12 anos até a morte depois de reclamar porque o menino não estava estudando o suficiente para uma prova de admissão a uma escola particular na província de Aichi, informaram meios de comunicação locais nesta terça-feira (23).

Kengo Satake, de 48 anos, disse à polícia que “discutiu com o filho por não estudar” antes de um teste para ingressar em uma escola de ensino médio, informou a rede de televisão pública NHK. O crime aconteceu no domingo (21).

Um porta-voz da polícia informou que o pai esfaqueou o filho, chamado Ryota, no peito com uma faca de cozinha. O pai foi preso depois que a polícia recebeu um telefonema dos funcionários do hospital. Satake teria dito à polícia que esfaqueou o filho “por engano”.

A disputa para entrar nas melhores escolas do Japão é intensa. Acredita-se que a admissão em uma instituição de prestígio tem um impacto decisivo nas perspectivas futuras de uma criança.

O menino tentava entrar em uma das principais escolas privadas da província de Aichi e seu pai o repreendia regularmente por seus estudos, disse a NHK, citando pessoas próximas à família.

A mãe do menino estava no trabalho quando o incidente ocorreu, informou o jornal “Asahi Shimbun”.

G1

Sobre O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Aproveite e Veja Também...

Israel proíbe a entrada de duas deputadas muçulmanas dos EUA a pedido de Trump

Israel vetou nesta quinta-feira a entrada no país das deputadas democratas Ilhan Omar e Rashida Tlaib, as …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *