Mundo

Merkel desmente aumento de criminalidade

2018-06-19t144201z-471700769-rc1618269af0-rtrmadp-3-germany-france-eurozone-300x107 Merkel desmente aumento de criminalidade

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, desmentiu nesta terça-feira (19) a afirmação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que a criminalidade na Alemanha teria crescido 10% devido à onda migratória.

“As novas estatísticas sobre criminalidade foram apresentadas recentemente pelo Ministério do Interior e falam por si só”, respondeu Merkel a uma pergunta sobre a questão em uma coletiva de imprensa conjunta com o presidente da França, Emmanuel Macron, em Meseberg, no nordeste da Alemanha.

“Naturalmente, temos que fazer mais na luta contra a criminalidade, mas é evidente que ocorreram progressos”, disse a chanceler.

Segundo as últimas estatísticas oficiais apresentadas em maio deste ano, os crimes cometidos na Alemanha caíram 9,6% em 2017, o que representa a redução mais forte em 25 anos.

Em 2017, foram registrados na Alemanha 5,76 milhões de atos delitivos, 611 mil a menos que em 2016.

Com isso, continuou uma tendência que vem sendo observada há vários anos, depois que o número de crimes na Alemanha chegou a 6,5 milhões em 2005. Além disso, os crimes com violência também caíram 2,4%.

No entanto, segundo especialistas da polícia, a intensidade dos crimes com uso de violência aumentou e, nos casos de lesões pessoais, cresceram consideravelmente aqueles nos quais são utilizadas armas brancas.

Os crimes cometidos por estrangeiros caíram de 616.280 em 2016 para 599.357 em 2017 e, dentro destes, os cometidos por imigrantes, que sofreram uma redução de 174.438 para 167.268.

Não obstante, esses últimos números estão acima dos registrados durante a grande onda migratória de 2015.

Naquele ano, 555.820 estrangeiros foram investigados por diversos crimes, entre os quais havia 114.238 imigrantes.

Um ano antes, em 2014, eram 492.610 estrangeiros que estavam sob suspeita, entre eles 59.912 imigrantes.

As estatísticas sobre criminalidade são competência do Ministério de Interior, que é comandado pelo político bávaro Horst Seehofer, um dos principais críticos internos da política de portas abertas praticadas em 2015 pelo governo de Angela Merkel.

Naquele momento, Seehofer era chefe do governo regional da Baviera, no sul da Alemanha.

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar