DestaquesParaíba

Descaso na Educação do Estado em Monteiro, deixa Escola Estadual sem Diretor e professores temem pela segurança.

escola-miguel-santa-cruz-300x225 Descaso na Educação do Estado em Monteiro, deixa Escola Estadual sem Diretor e professores temem pela segurança.O descaso do atual governo do Estado da  Paraíba e da 5 ª Gerência  Regional de Ensino em Monteiro com educação nas escolas da rede Estadual é preocupante e coloca em risco a vida de alunos e professores, de acordo com denúncias que o portal de notícias OPIPOCO vem recebendo, desde o início das atividades letivas a Escola Miguel Santa Cruz, que fica no centro de Monteiro, se encontra sem diretor para comandar as atividades e gerenciar a escola. Sem comando a escola se transformou em uma verdadeira zona, prejudicando os alunos em suas atividades escolares. Ainda de acordo com relatos de professores a situação é ainda mais grave, já que há suspeitas de que alguns alunos fazem uso de drogas na unidade escolar.

Confira na integra o desabafo de uma professora:

“A Comunidade Escolar Miguel Santa Cruz se sente indignados e preocupados por não haver direção Escolar, desde o início de suas atividades escolares, estamos terminando a primeira unidade e nada de um novo diretor assumir, hoje somos a maior escola da rede estadual em Monteiro, chegando a um número total de quase 920 alunos, atendendo em três turnos com ensino fundamental e médio. Preocupados com todos os problemas que se agrava todos os dias pedimos às autoridades competentes que agilize a nomeação de Diretor e vice para essa unidade de ensino que tanto tem servido aos cidadãos de Monteiro e comunidades circunvizinhas. Consideramos uma educação fragilizada e sem rumos”.

De acordo com o relatos, a escola vem se acabando e os professores não vê a mínima condição de da aula em um ambiente que não é nem um pouco propício para isso. A escola muitas vezes fica sobre o comando dos alunos que tocam o terror quebrando portas, arrastando as cadeiras das salas dos professores pelas galerias. Quando os professores entram em sala para ministrar suas aulas se deparam com um cheiro insuportável que é semelhante a maconha, mostrando que a escola está chegando a um nível de descontrole total. Professores e alunos relatam que estão no limite, Pois a situação é insuportável. Os professores tem receio em reclamar com os alunos, pois muitas vezes percebe-se que estão totalmente alterados. Sem saber o que fazer os professores e alunos dizem ter medo e temem que algo grave chegue acontecer com suas vidas.

OPIPOCO

Histórico Escola Estadual Miguel Santa Cruz:

ESCOLA-ESTADUAL-miguel-SANTA-CRUZ-300x282 Descaso na Educação do Estado em Monteiro, deixa Escola Estadual sem Diretor e professores temem pela segurança.

Construída na década de trinta, sob a responsabilidade do mestre – de – obra Manoel chaves, foi inaugurada no dia 15 de fevereiro de 1936, tendo como primeiro diretor, o professor Severino Rocha, na gestão municipal do Sr.Sisenando Rafael, no governo estadual de Dr. Argemiro de Figueiredo. Foi batizado com o nome de Grupo Escolar Dr. Miguel Santa Cruz em homenagem ao grande monteirense Miguel Santa Cruz, que doou o terreno para que se construísse uma escola. Foi deputado provincial da República, no período de 1892 a 1895. Homem culto, inteligente e de posições moderadas. Elegeu-se deputado para a quinta legislatura de 1904 a 1907. Pela sua formação, exerceu atividades jurídicas e foi também lente de História do Brasil, no Liceu Paraibano.

Até o ano de 1984 a escola tinha apenas o curso primário. A partir do ano de1985, passou a funcionar com o 1º grau completo ( do pré a 8º série). De Grupo Escolar passou a Escola Estadual de 1º Grau Miguel Santa Cruz. Depois passou a chamar Escola Estadual de Educação Infantil e Ensino Fundamental Miguel Santa Cruz. Hoje depois da saída da Educação Infantil para o município Escola Estadual de Ensino Fundamental Miguel Santa Cruz.

Seu decreto de criação só foi registrado no ano de 1981, sob o nº 8964, de 12/03/81, com publicação no Diário Oficial- D. O. de 13/03/81.

Por ter sido a primeira escola pública do município, por seu valor histórico do nosso povo, por sua beleza arquitetônica, que se destaca das demais, é considerada patrimônio histórico, cartão – postal, ponto de referência de nossa cidade.

A competência dos diretores que por ela passaram, fez dessa escola uma tradição em ensino de qualidade. Registramos a gestão do Prof. Maqueburgo Carneiro, Profª Eunice Lins, Profª Olga Lustrosa, Profª Aurora Gomes Fragoso, Profª Nazira de Sousa e da eterna presença da Profª Tereza Bezerra Xavier, que dedicou 38 anos de sua vida a esta instituição.

A importância de sua construção faz jus ao orgulho que tem de seus alunos de ontem e de hoje, a partir da turma fundadora, nas pessoas do professor José Rafael de Menezes, Dr. Lavousier Feitosa, Dr. Paulo Cauby Reinaldo Japyassu, Dra. Laura Feitosa e muitos outros que se seguiram, sem esquecer o poeta Jansen Filho, que elevou em muitos dos seus versos o nome da escola, sentindo-se elevado por ter a ela pertencido.

Etiquetas

O Pipoco

Jornalismo sério com credibilidade. A Verdade nunca anda sozinha. Apresentaremos fatos num jornalismo investigativo e independente. Com o único compromisso de mostrar para Você, Cidadão, o que acontece nos bastidores da Política; da Administração e Outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar